Advertisements

Blog Archives

O Rio de Janeiro ganha um super templo de consumo de luxo

O Brasil é sem dúvida a bola da vez.  As maiores marcas do mundo tem aterrissado no país com lojas gigantescas em enormes paraísos do consumo como o Shopping Cidade Jardim e o mais novo  JK Iguatemi, ambos em São Paulo.

Mas quem pensou que o mercado de luxo se restringia à capital paulista enganou-se redondamente. Chegou a vez dos cariocas receberem seu templo de luxo.  Na segunda quinzena de novembro será inaugurado o Village Mall. O shopping fará parte do complexo Multiplan, inaugurado há 30 anos e que conta um dos maiores shoppings da  América Latina, o Barra Shopping, o New York City Center e o Centro Empresarial Barra Shopping.

O shopping terá 115 lojas distribuídas  em três pisos e com uma área total de  quase 117.000m². Além disso, o projeto prevê um teatro para 1.000 pessoas, quatro salas VIP de cinema e uma área para eventos com 1.800m², com terraço descoberto com vista para a Lagoa da Tijuca – o que lembra muito o terraço do JK Iguatemi e do Shopping Cidade Jardim, em São Paulo.

Entre as lojas que estarão na meca do luxo carioca, um destaque para a 1ª loja da Michael Kors, Anne Fontaine,  Dior Cosméticos  e da belga Coccodrillo, no Brasil. Além dessas, outras grandes grifes como Prada, Gucci, Miu Miu, Burberry, Sephora, Louis Vuitton e Ermegildo Zegna já têm seus espaços garantidos.

A cidade estava precisando de algo assim, mesmo sabendo que o estilo de vida do carioca não combina muito com esse mercado ostensivo. Claro, falo de uma maneira geral e não como uma regra. Uma prova do que digo é o São Conrado Fashion Mall, que foi por muitos anos o mais chic da cidade. Quem frequenta sabe que está sempre meio vazio. Ainda assim, é um excelente presente para a nata da sociedade tradicional do Rio e os muitos emergentes da Barra da Tijuca.

(Fotos: Casa 3 Stúdios/ divulgação)

Advertisements

O Eles na Moda visita o Shopping Iguatemi JK

Um lugar bonito, moderno, mas que infelizmente ainda está com cara de obra inacabada. Talvez pela quantidade de lojas ainda fechadas. Quem foi esperando encontrar a última coleção na Gucci ou apreciar as novidades da Chanel perdeu a viagem. Assim como a Prada, essas e tantas outras estão apenas com os tapumes nos locais onde serão as futuras lojas mega cobiçadas pela classe AAA+ da cidade. Um desfile interminável de bolsas Prada, botas, coletes de pelo e polo Lacoste. Todos reparam em tudo o que todos estão vestindo e olham torto se não aprovam o que vêem. Bom, essa é a imagem da elite paulistana.

Tudo é muito branco, transparente e metalizado. Os corredores são bem largos, mas há momentos, principalmente próximo ao vão central do lugar, que tentaram aproveitar o espaço, sendo colocando uma área para crianças ou quiosques, que acabou ficando muito apertado e horrível para andar, pois as pessoas se esbarram, principalmente no último andar, próximo aos restaurantes Almanara e Ráscal.

Mas não só de lojas caras vive o Iguatemi JK. Para quem quer conhecer o lugar e não tem muita grana, mas não quer sair de lá de mãos abanando, tem a Hering, a Luigi Bertolli e a Top Man. Bom, esta última vou dar minha opinião, mas acredito que muita gente vai descordar. Não gostei de absolutamente nada. As roupas não são bonitas, os preços não são tão convidativos – se levarmos em consideração as peças – e o espaço é pequeno.  Para felicidade das meninas, a Topshop é bem maior, mas não entrei para ver os preços das coisas.

Encontrei o paraíso quando vi a Lacoste L!ve, uma das pouquíssimas flagship stores da linha jovem da grife, no mundo. Tudo é lindo e colorido, além de não ter aquela cara sisuda e engomadinha da Lacoste tradicional. Bom, já falei mil vezes desta nova linha da marca e o quanto eu sou fã dela. Não aguentei, tive que entrar. Saí com 3 tênis lindos! Os preços? Bom, Lacoste, né?

A praça de alimentação não comporta muita gente, e sinceramente não foi feita para uma região com tantos escritórios como a Vila Olímpia. O espaço não é tão pequeno, o problema é a disposição das mesas e cadeiras. Tem alguns sofás que cabem umas 5 ou 6 pessoas, mas pela disposição das mesas, se uma pessoa desconhecida se senta, elimina a possibilidade de outras também sentarem. As opções para comer não são muitas, mas são boas. Tem um BurgerKing  para quem sente falta de junkie food e Desfrutti para quem curte uma vibe mais natural.

O cinema. Por onde começar? Pela falta de energia, a desorganização, a super lotação, a falta de ar condicionado ou pelo preço absurdo que cobram por tudo isso?

Minha intenção era assistir A Era do Gelo 4 na sala 4D. No entanto, todas as sessões estavam lotadas, então decidi assistir ao novo filme do Homem Aranha.  Os preços das salas variam de R$ 39 a R$ 68. Clientes Santander, estudantes e maiores de 65 anos pagam meia entrada. A rede Cinépolis é a 4 maior do mundo e maior operadora de cinemas da América Latina, o que me espanta por ter visto tantas falhas. A estrutura é boa. Você pode assistir aos filmes tomando espumante, comendo um combinado de japonês ou escolher qualquer outro drink disponível no menu. Achei chique! As salas são hiper confortáveis, assentos de couro e reclináveis, mas…

O filme estava marcado para começar às 21h30, devido a falta de energia no cinema, foi necessário ligar o gerador para as pessoas da sessão anterior terminarem de assistir ao filme. Resultado: a minha sessão começou com 1hora de atraso. Quando liberaram a entrada, não havia óculos 3D suficiente para todos. As pessoas começaram a pegar óculos que estava numa caixa disponíveis para o filma da sala ao lado. Entramos sem nem mesmo conferirem nossos bilhetes. Podia ter entrado até mesmo sem pagar, tamanha desorganização.

A sala estava lotada, aquela tela gigante do Imax e o calor tomava conta. Sim, o ar condicionado não funcionava. As imagens, ainda no trailer, travaram 2 vezes.  Até que uma mulher lá embaixo grita: “quem quiser ir embora eles estão devolvendo o dinheiro!” Muita gente desistiu de assistir pelos inúmeros problemas e pela possibilidade de reaver o valor.

Enfim, saí de lá com uma impressão “ok” do lugar. Ainda tem muito o que acontecer ali dentro. Os problemas que enfrentei no cinema, não competem ao shopping e sim a Cinépolis. Não acredito que esses problemas sejam por ser um lugar novo, testes e treinamentos servem para que esses tipos de coisas não aconteçam. Mas vamos acompanhar. Voltarei lá mais vezes.

This slideshow requires JavaScript.

(Fotos: reprodução)

Diesel de volta ao Brasil?

Há um ano a Diesel fechou todas as lojas que tinha no país, alegando que nós brasileiros não dávamos o lucro esperado para manterem suas unidades funcionando. Na época, a matriz italiana chegou a dizer que fecharia as lojas mas esperava reabrí-las em breve. As lojas da Haddock Lobo, no Jardins e a do shopping Iguatemi, em São Paulo, do shopping Fashion Mall, no Rio de Janeiro e do Outlet Premium, em Campinas, encerraram suas atividades no dia 4 de junho do ano passado.

No entanto, parece que os administradores da marca sentiram falta das nossas terras em constante crescimento econômico, e resolveu cumprir o prometido: reabrir novas unidades. Uma delas voltou para seu antigo endereço, a Rua Haddock Lobo, no Jardins. Já  a outra foi inaugurada na mais nova meca do consumo de luxo da classe AA paulistana, o shopping Iguatemi JK.

As lojas desembarcam no Brasil com as coleções verão 2012 e inverno 2013 das linhas Diesel Black e Diesel Black Gold. E, ao que tudo indica, a grife deve trazer as coleções infantis para as duas lojas ainda este ano.

O único problema, que certamente foi o que fez a marca deixar o país, são os preços absurdos e que infelizmente vão tornar a ser cobrados por um único jeans. As pessoas deixam de comprar por saberem que “lá fora” é possível comprar por um preço até 5 vezes menor.

(Fotos: reprodução)

Iguatemi JK e a primeira loja Gucci só para ELES

Todos sabemos que São Paulo ganhará mais um templo do consumo classe AAA++,  que será o novo Igatemi JK, bem ali pertinho da Daslu. O novo Shopping tinha data prevista para inauguração em setembro deste ano, porém devido alguns imprevistos, o lançamento ficou para o ano que vem .

Já foi confirmada a presença de uma mega store da TopMan/TopShop.  Ao que parece, a Louis Vuitton trará toda sua coleção Menswear para a sua nova loja no shopping e a Burberry terá um considerável espaço voltado somente para esse público. A melhor notícia é: o shopping terá a ÚNICA loja no mundo da Gucci voltada para os homens – estamos com tudo, hein?!  

A nova Meca do luxo paulistano contará com aproximadamente 240 lojas e dentre elas as mais luxuosas grifes internacionais que já estão  solidamente instaladas no Brasil – Louis Vuitton, Emporio Armani e Ermenegildo Zegna – , e outras que prometem criar um rebuliço entre as ricaças da cidade – Stella McCarteney, Alexander McQueen e Balenciaga.

Vamos acompanhar…