Advertisements

Blog Archives

Verde Esmeralda é a cor de 2013

pantone verde esmeralda

Todos os anos a Pantone Color Institute define uma cor predominante na moda e no design. Em 2012 você deve ter visto muito objetos e roupas laranja espalhadas por todos os lugares. Este ano a cor que reinará absoluta durante os 365 dias será o verde esmeralda.

O verde é uma cor que  transmite calma, alegria e muita autoconfiança. Essa pantone, em específico, por não ter muito amarelo em sua mistura, torna-se uma cor super democrática, pois combina com praticamente todos os tons de pele, desde as negras até as mais branquinhas.

Look-Esmeralda

Seguindo a tendência de 2013, o ENM vai dar algumas dicas para quem quer abusar do verde esmeralda, sem exageros!  Dá só uma olhada:

Camisa

Use sempre uma única peça na cor. Look monocromático foi moda em 2009/10  hoje ele não funciona mais. Então, se usar uma camisa/camiseta esmeralda, escolha uma calça ou short em cores neutras, para que elas não disputem a atenção. O verde é o look, logo ele precisa reinar sozinho. Shorts ou calças nas cores branco, off white, preto, marinho ou jeans são ideais. Tons quentes e cítricos como vermelho, amarelo e laranja podem deixar o visual meio pesado e  essas cores, por já serem fortes, acabam tirando o foco do verde, que é a atração principal. Elas não necessariamente devem ser evitadas, mas sim serem usadas com muita cautela.

green shirts and suit

Calças

A ideia é basicamente a mesma das camisetas. A diferença é que uma calça verde é praticamente o look completo. Ou seja, ela chamará muito mais atenção que uma simples camiseta. A dica neste caso é abusar das camisas e camisetas neutras. Os mesmos tons de cinza, off white, marinho e branco harmonizam muito bem com o verde que estamos propondo.

green pants 4

Acessórios

Se você é mais discreto e não gosta da ideia de usar calças ou camisetas muito coloridas, pode apostar nos acessórios. Eles estão super em alta para os homens e compõem um look bem moderno. Cordões, braceletes  e ‘Menbags’ em materiais nesta cor, já muda completamente o visual. Eles com certeza darão um toque legal e, claro, discreto ao restante da roupa.

acessórios

E aí, curtiram as dicas?

Advertisements

Regatas, usar ou não usar?

Regata 5

Uma coisa que até hoje não consegui entender é: qual o pânico que as mulheres têm com camiseta regata? Umas dizem ser brega, ou que só se usa na praia, outras dizem que elas deveriam ser abolidas do guardarroupa masculino, ainda existem aquelas que vão além e afirmam que terminariam um relacionamento se vissem seus namorados usando uma dessas. O que é interessante, já que as blusas que deixam a barriga de fora é extremamente ridículo,  mas mesmo assim elas continuam usando, por ser “fresquinha” e “ótima para o verão”.

A pergunta é: se as regatas são tão bregas e ridículas, por que as grandes grifes nacionais e, principalmente, as internacionais insistem em produzí-las?

Sou a favor  e faço uso de regatas, sim. São confortáveis, “fresquinhas” e “ótimas para o verão”. Claro que, como tudo, seu uso deve ser feito em locais apropriados. Trabalho, cinema e baladas não são os melhores lugares.  Além disso, o corpo deve estar em forma para usar uma peça dessas, caso contrário terei que concordar com as mulheres. Se você está um pouco acima do peso, por favor, não use. Não fica legal!

Regata 2

As tão odiadas regatas são ótimas para correr no parque, ir à academia e passar o dia na praia. Não vejo lógica em grifes como Osklen, D&G e tantas ostras fazerem esses modelos para nunca serem usados.  Se fosse realmente tão ridículo como algumas pessoas teimam em dizer, os grandes gênios da moda nunca as fariam – pensem nisso!

Para acabar de vez com esse estigma de “nunca use regatas” resolvi dar umas dicas importantes para você que,  como eu,  gosta de uma regatinha nos dias mais quentes. Dá uma olhada:

Tipo Físico

regatas 1A ideia é que ela nunca fique muito justa ao corpo. Se você tem o tipo físico mais musculoso, ela vai evidenciar demais os músculos, o que acaba não sendo legal. A ideia é estar bem vestido e não exibir o corpo.  Isso você pode fazer na praia ou na piscina usando uma sunga.

Se você está um pouco acima do peso, evite. Ela vai salientar ainda mais as gorduras, principalmente aquelas debaixo do braço.

Como usar

Em primeiro lugar, use-as sempre em locais abertos, áreas livres como parques, praias, clubes e cachoeiras. As regatas não foram feitas para entrar em restaurantes ou shoppings, a não ser que esteja à beira da praia.

Durante muito tempo – talvez até hoje – os cariocas as usaram com calças jeans e Havainas. Confesso que usei muito isso quando morava por lá. É confortável, descontraído e tem todo aquele clima de praia carioca.

Regata 4

Outro jeito de usar é com shorts e docksides, espadrilhas ou tênis baixinhos. Por favor, Nike Shox e derivados foram feitos para academias e trilhas no meio do mato. Fora isso, não use!

O importante, acima de tudo é que esteja confortável.  Use aquilo que te agrada e te deixe seguro. Mas lembre-se: tenha sempre uma pitada de bom senso na hora de escolher com que roupa ir.

Como passar a camisa

Sabe quando temos um compromisso e já temos em mente que roupa vestir, corremos para o armário para pegar a camisa e ela está lá, parecendo ter sido recém saída da máquina de secar? Completamente amassada. Seria incrível ter seu armário todo organizado com roupas bem passadas e separadas por modelo, cor e estilo, não é mesmo? Mas como vivemos em um mundo onde estamos sempre correndo com tudo, nem sempre temos esse tempo livre para tanta organização.

Uma coisa que de tanto me ver obrigado a fazer acabei aprendendo, foi passar minhas próprias camisas. No começo parecia ser uma tarefa extremamente complicada, mas com a prática você percebe que as coisas não são tão difíceis assim.

Preparei um manual para orientar nessa tarefa um tanto chata, mas extremamente necessária. Dá só uma olhada:

Se o seu ferro for a vapor, use-o neste modo.  O Vapor ajuda a deixar a roupa mais macia,  facilitando todo o processo. Os sprays para passar roupas também são ótimos e ainda possuem fórmula amaciante com perfumes.

1º passo

Comece pelas mangas. Desabotoe toda a camisa e estique a manga em cima da tábua de passar roupas. O movimento correto do ferro seria passadas longas e lentas, dos ombros para o punho.  Isso porque o tecido promove uma superfície de contato perfeita para o ferro, tornando o processo mais rápido. O punho requer um pouco mais de cuidado. Abra-o e passe por dentro e por fora.

2º passo

Siga para os ombros. Abra a camisa e encaixe um dos ombros na ponta da tábua. Passe da extremidade para o colarinho com passadas curtas utilizando a ponta do ferro.

3º passo

Logo depois é só começar com o colarinho. Aqui é importante utilizar algum spray amaciante para facilitar o processo. Estique o colarinho e passe o ferro com força, pois este é o local que precisa ser muito bem passado. Certifique-se de que foi passado dos dois lados.

4º passo

Por fim o corpo da camisa. Esta é a parte mais fácil. A melhor forma é abrir  a camisa, esticar um dos lados da frente em cima da  tábua e dar passadas longas e lentas, borrifando um pouco de spray para auxiliar. Repita o mesmo processo no outro lado e na parte de trás da camisa. Quando terminar, pendure-a em um cabide.

Uma dica legal é sempre que lavar as camisas, quando retirá-las da máquina pendure-as no varal já em cabides, assim elas secam mais rápido e evita que fiquem muito amassadas.

E aí, gostaram da dica?

Indie, o estilo influenciador da década

A música, sem dúvida,  é a maior influenciadora quando o assunto é moda. O rock, por sua vez, é o estilo que dita o que devemos usar.  Quer um exemplo? Observe os anos 50, 60, 70, 80, 90 e verá que a moda estava diretamente ligada ao que as bandas de rock usavam, seja punk,  poser, gótico ou grunge. Tenho minha opinião quanto à moda nos anos 2000. Passamos por uma década meio sem identidade.  Os rappers e cantores pop cumpriram seus papéis, mas sem deixar uma marca forte.

Na década de 80 uma moda surgiu despretensiosa com um estilo mais light e tinha como principal influenciador, bandas que lançavam discos por gravadoras independentes, diferente das grandes bandas de rock que pipocavam por todos os lados. Foi nesse período que bandas consagradas como The Smiths, New Order e The Jesus & Mary Chain surgiram e que influenciaram muito todos os movimentos alternativos que surgiram nos anos 90.

A moda Indie voltou aos poucos à evidência na última década com surgimento de bandas como The Killers, Franz Ferdinand e Strokes. No entanto, é neste momento que vivemos sua maior influência. Nas grandes metrópoles e até mesmo nas cidades menores, por todos os lados, podemos ver alguém influenciado pela moda que garante ser a marca registrada desta década.

Mas o que é necessário para ser considerado um Indie?  Em primeiro lugar, não ter o pensamento popular, o dito mainstream. Quer dizer, não curtir tanto do que todos curtem. Todo membro desse grupo tem um profundo conhecimento de músicas, bandas e filmes independentes. Além de ter o livro como seu melhor amigo.  Indies são cultos, gostam do que é bom, exclusivo e diferente.  Por isso não é tão difícil ver essas pessoas em cargos como designer, cineastas, escritores, produtores… De uma forma ou de outra, estão sempre ligados à arte.

        

Agora, se você ainda não tem todos esses ingredientes, mas mesmo assim se identifica com a moda, vale algumas dicas:

Camisa

Sabe aquele modelo mais sequinho que sempre falo por aqui? Branca, preta, cinza, marrom, vinho… Cores sóbrias e lisas. Se for optar por estampas, atente-se ao tamanho e tipo de estampa. Florais bem pequenos, bolinhas pequenas ou xadrez. As de mangas curtas são as mais comuns  podendo ser ou não abotoadas até o colarinho.

Calça/Short

Jeans é parte do look, sempre. No entanto, estamos vendo uma grande variação com relação às calças jeans para as chamadas Chinos (que, particularmente, prefiro). Cores são essenciais. Calças azuis, vermelhas, pretas, tons de marrom, mostarda e ferrugem são básicas para um guardarroupa indie. Apenas um detalhe: todas skinny!

Nunca se esqueça de ter shorts sempre à mão. Cortados e dobrados na barra, jeans ou de tecido, sempre uns 3 ou 4 dedos acima do joelho, para dar um ar mais mordeninho.

Sapatos

Tênis estilo Converse de cano alto ou baixo, nada de meias. Se for como eu, que não consegue calçar um tênis sem meias, use aquelas bem baixinhas, que não aparecem. As desert boots  e os clássicos brogues são muito bem aceitos, também.

Acessórios

Esse é o pulo do gato. É aqui que um Indie é identificado. Gravatas slim e borboleta, suspensórios, chapéus, relógios, tatuagens diferentes e bem coloridas – nada de caveiras ou tribais, essas são muito mainstream. Cordões são sempre bem vindos. Óculos, escuros ou de grau, precisam ser diferentes. Armações vintage, grandes ou estilos wayfarer são marcas registradas desse público. Uma observação: blazers e coletes são quase obrigatórios!

No Brasil, apesar de já termos uma loja TOP MAN em São Paulo, ainda não temos as grandes lojas como a Urban Outfitters, que são conhecidas por vestirem esse público. Porém a loja ASOS vende muito bem e o melhor, entrega também no Brasil. Vale dar uma olhadinha no que ela tem a oferecer e principalmente nas liquidações que sempre realiza.

E aí, curtiram?

Como usar camisas de mangas curtas?

Há quem diga ser feio. Há quem goste. Há aqueles mais extremistas que dizem que elas deveriam deixar de existir. O que sei é que gostando ou não, as camisas de magas curtas sempre estiveram presente no guardarroupa masculino. Esse modelo voltou com tudo há algumas temporadas nas versões lisas e estampadas, e tem feito o maior sucesso principalmente entre os moderninhos de plantão.

No entanto, ao lançar mão da peça, há algumas coisinhas que devemos levar em consideração:

Caimento

Assim como para qualquer peça, o caimento é fundamental na hora de comprar uma camisa de manga curta. O comprimento ideal é aquele que cobre parte da braguilha da calça. Nos braços, as mangas devem estar à distância de um dedo entre a camisa e os bíceps.

Estampas

Hoje as camisas lisas não são mais tão disputadas como eram antes. As estampas são o que dá a graça nessas camisas. Desde as mais retrôs até as mais havaianas. Veja qual se encaixa mais no seu estilo e se joga! Uma dica é colocar uma camisa de algodão por baixo e dobrar um pouquinho da manga de uma por cima da outra. Fica bem legal!

Por dentro ou por fora?

Nesse caso arriscaria dizer: tanto faz! Se você quiser cirar um estilo mais despojado, um ar mais “beira de praia”, vista a camisa aberta com uma camiseta branca e lisa por baixo. Agora, se você quer dar um toque mais “modernete”. Coloque uma camiseta de algodão por baixo, feche a camisa até a gola e ponha por dentro de uma calça chino. Se quiser incrementar ainda mais, coloque uma gravatinha borboleta ou um suspensório. Voilá!

E aí, o que acharam?

 

Como usar Cardigã

Sabe aqueles dias que a gente nunca sabe se vai fazer ou não frio? Daí você sai de casa só com uma camiseta e quando a noite chega tá aquele vento gelado e você pensa: por que não trouxe um casaco? Tenho que concordar que é um saco ter de carregar casaco para todo lugar, ainda mais se for daqueles grandes e pesados.  Nesses casos onde nunca sabemos o que nos espera ao decorrer do dia (típico de São Paulo) ou faz como eu e deixa um casaco permanentemente na cadeira do escritório ou leva consigo um casaquinho mais leve, bom para suportar um vento mais geladinho de fim de tarde.

O cardigan surgiu em meados de 1800, usado pelo Conde Thomas Brudenell, durante a Guerra da Crimeia, atual Ucrânia. Porém foram os pescadores franceses que o fizeram popular, por ser um peça que suportava os fortes ventos, durante os trabalhos em alto mar. O suéter, com o passar do tempo, foi se tornando fundamental para aqueles que querem estar aquecido e até hoje é usado, principalmente para dar um toque mais despojado e fashion ao look.

Usar cardigan é simples, basta vestir e abotoar, certo? Sim. Corretíssimo! Mas que tal dar um toque diferente a uma peça tão tradicional?

Separei aqui algumas ideias para você se inspirar na hora tirar o seu do armário. Dá uma olhada: